Artigos

Como prevenir o aparecimento das Rugas?

25 de julho de 2020

As rugas podem começar a aparecer de forma discreta numa pessoa desde uma idade bastante jovem, já a partir dos seus 20 anos.

Elas são causadas por uma combinação de fatores, alguns estão dentro do nosso controle, outros não:

Idade: A medida que envelhece, sua pele naturalmente se torna menos elástica e mais frágil.

Exposição ao sol: A exposição à luz Ultra Violeta quebra o tecido conjuntivo da pele – fibras de colágeno e elastina.

Fumar: pode acelerar o processo normal de envelhecimento da pele, contribuindo para as rugas, devido ao efeito do fumo no colágeno.

Expressões faciais repetidas: Cada vez que você usa um músculo facial, como ao sorrir ou expressar surpresa, um sulco se forma abaixo da superfície da pele. A medida que a pele envelhece, ela perde sua flexibilidade e não é mais capaz de voltar ao lugar. Esses sulcos tornam-se então características permanentes do seu rosto.

Aqui estão algumas dicas para prevenir as rugas segundo a famosa clínica Mayo dos Estados-Unidos:

Proteja sua pele do sol. Limite o tempo que você passa ao sol, especialmente ao meio-dia, e sempre use roupas de proteção, como chapéus e óculos de sol. Além disso, use filtro solar ao ar livre. A Academia Americana de Dermatologia recomenda o uso de um filtro com um FPS de 30 ou mais.

Não fume. Mesmo se você fuma há anos ou fuma muito, ainda pode melhorar o tom e a textura da pele e evitar rugas ao parar de fumar.

Coma uma dieta saudável. Existem evidências de que certas vitaminas da sua dieta ajudam a proteger sua pele, sendo recomendado comer muitas frutas e legumes.

Talvez você diga para si mesma: mas eu já faço tudo isso, existe algo a mais que eu possa fazer e que comprovadamente diminua o aparecimento das rugas? A resposta é sim. 

Trata-se da toxina botulínica, o famoso “botox”. 

A vasta maioria das pessoas sabe que o botox é muito eficaz para o tratamento das rugas que já existem, mas poucos ouviram falar sobre sua capacidade de prevenir o surgimento delas. 

Artigo científico publicado na Journal of Drugs in Dermatology comenta sobre as evidências científicas dessa capacidade do botox. 

Os autores citam um estudo realizado com duas gêmeas idênticas. Uma aplicou o botox regularmente a cada 4 a 6 meses por 13 anos (o tempo de ação do botox varia de 4 a 6 meses, após esse período ele deixa de agir e precisa ser reaplicado). A outra gêmea aplicou botox apenas 2 vezes nesse mesmo período de 13 anos. Além do botox, nenhuma das gêmeas realizou outros tipos de tratamentos cosméticos. 

Os pesquisadores aguardaram passar pelo menos 4 meses após a última aplicação de botox pela gêmea que aplicava de forma preventiva para fazer uma análise comparativa entre as duas gêmeas sem que houvesse mais interferência do último botox aplicado. Os autores comentam que a análise fotográfica entre as duas gêmeas revela um grande contraste, onde a gêmea que não usou o botox preventivamente desenvolveu rugas mais aparentes e sua pele apresentou sinais mais evidentes de envelhecimento do que a outra gêmea que fez o botox de forma regular e preventiva. (imagens disponibilizadas no artigo científico abaixo, a da direita é a da gêmea que fez uso preventivo).

(Legenda: Foto obtida de publicação científica e disponível publicamente no site da revista científica: https://www.liebertpub.com/doi/10.1001/archfaci.8.6.426)

Os autores mencionam algumas hipóteses para essa ação preventiva do botox, como a sua capacidade de alterar a elasticidade da pele assim como reorganizar a disposição das fibras de colágeno. 

Você sabia dessa capacidade preventiva do Botox?

Dr Juan Montano

Clinica PlásticaMontano

Arte e Ciência

Referências 

Humphrey S. Neurotoxins: Evidence for Prevention. J Drugs Dermatol. 2017;16(6):s87-s90.

Binder WJ. Long-term effects of botulinum toxin type A (Botox) on facial lines: a comparison in identical twins. Arch Facial Plast Surg. 2006;8(6):426-431.

mayoclinic.org

MARQUE SUA CONSULTA